Chão…

mendigo

Imagem retirada da Internet.

Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.

[Carlos Drummond de Andrade]

 

Meu sangue é o medo

e só sei de mim

o que os outros leem

nos meus olhos…

 

Cresci na rua

e me alimento do lixo.

A chuva é minha forma

de purificar o espírito.

 

Não fui batizado

e não entendo de Deus.

Não falo nenhuma língua,

além da fome.

 

Mas posso lhe assegurar

que aqui, com a mão estendida,

ofereço-te um bocado de humanidade

por um trocado qualquer.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

9 respostas para Chão…

  1. Marcos Silva disse:

    Tocante!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ana Teixeira disse:

    É o soco no estômago que todos precisam levar!
    Você me tocou com palavras e sensibilidade. Obrigada!

    Curtido por 1 pessoa

  3. mariel disse:

    Anna está certa. E acrescento: dói.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Anderson B. disse:

    “Não falo nenhuma lingua a não ser a fome” esta lingua e mundial. Lindo versos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s