Apologia ao pranto…

“Com as lágrimas do tempo e a cal do meu dia

eu fiz o cimento da minha poesia”.

[Vinícius de Moraes]

Qual a função da lágrima,

além de proporcionar ao corpo

– cansado –

essa expansão líquida?

O fruir do desespero,

a dispersão da nostalgia?

.

O choro é, por natureza,

abrangente…

.

Não se deve dar um significado

único

a todas as lágrimas que vertem.

Cada uma tem a sua história

e só quem a escreve é que consegue ler

a umidade contida nas entrelinhas…

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

9 respostas para Apologia ao pranto…

  1. Poema suave e ao mesmo tempo forte. Lindo! Parabéns pelos escritos, abraços.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Que beleza as entrelinhas de cada lágrima!
    Gratidão pela sua arte.

    Curtido por 2 pessoas

  3. mariel disse:

    Lágrima é uma expressão líquida. Linda poesia.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s