Fragmentos…

11265363_10200600801500619_3647130946164287593_n

Desconheço a autoria da Imagem.

Escrevi sobre ti mais de mil poemas
Por isso não me deves nada;
Sou eu que te devo tudo
Tudo o que senti
Sem ti…

[Emílio Miranda]

Desbotado, o verde dos olhos fez-se cinza. Cor que morre no fim, mas que ainda acredita tornar-se sol, infinito encanto para o encontro de outros olhos de luz. (Sorriu.) Perguntava-se se merecia aquela canção que ele havia cantado para ela e que, agora, se repetia incansavelmente na memória. (Não ousou responder…).

As horas se arrastavam entre o tédio e a falta de qualquer coragem. O pano de fundo: umas felizes lembranças ao lado dele. Irritou-se, sem entender bem o porquê. Quis jogar uma praga, mas escreveu um poema. Deitou-se no chão frio e dormiu. Sonhou que era cachoeira e que suas águas eram mágicas. Fez um pedido: queria ser um espelho e se quebrar em mil pedaços. Acordou em fragmentos.

Pensou, por fim, que apenas aquele abraço poderia colar no lugar esses pedaços e trazer de volta o verde do olhar…

Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Fragmentos…

  1. João Gilberto Saraiva disse:

    Gosto dessas escritas que retalham e recosturam a tez dos sentimentos. Parabéns pelo texto!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s