Séculos e solidão…

13886407_10202107902337198_7170463160488203046_n

Desconheço a autoria da Imagem.

Nunca pretendi ser senão um sonhador. A quem me falou de viver nunca prestei atenção. Pertenci sempre ao que não está onde estou e ao que nunca pude ser.

[Bernardo Soares]

Tem razão: eu não sou como você.
Cultivo o inútil, nada sei de teorias
ou teoremas. Falo o que penso
e penso muito pouco… já sabe.

Não tenho procedência
e já nasci condenada
a um lirismo quase infantil.
Insisto em gastar meu tempo
com sonhos e ilusões.
Imagino que assim
eu possa prolongar o infinito.

Passo os dias a calcular
a distância exata entre
o beijo e a saudade,
aprendendo o nome dos pássaros
e escrevendo versos
nas folhas das árvores.

Mando mensagens
nas asas das borboletas
que me visitam na estiagem…
Ninguém lê.

Eu sou esse texto mal escrito,
sem ponto final, difícil de ler…
Uma história feita de séculos
e solidão.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

6 respostas para Séculos e solidão…

  1. Pingback: escreversonhar

  2. 0819claudiacap disse:

    Boa tarde! Sabe, esse texto me fez lembrar da Madame Wu, do livro Pavilhão de mulheres da Pearl S. Buck. Obrigada pelo texto bem escrito. Abraço.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Mariana Gouveia disse:

    você é essa história linda de ler e emocionar…

    Curtido por 1 pessoa

  4. 0819claudiacap disse:

    Republicou isso em Título do site.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s