Arquivo do mês: abril 2017

Domingo…

Tentei lembrar o alfabeto, fazer crescer as letras, abrir novas palavras no colo das páginas. Mas nenhum nome tem o teu tamanho. [António de Deus-Rosto] Peço-te: rompe este silêncio e abraça de novo meus sonhos… São 4h da manhã e … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 2 Comentários

Pelo teu sorriso…

Tira-me o pão, se quiseres, tira-me o ar, mas não me tires o teu riso. [Pablo Neruda] Naquela tarde, quando tropecei nos teus olhos e caí em mim mesma, senti que nunca mais eu seria capaz de me curar do … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 15 Comentários

À noite…

encosto a face à parede mais triste do quarto, fiel guardiã do sol posto. o coração que me deixaste é uma casa difícil de habitar. [Renata Correia Botelho]        A noite pesa-me com seu manto escuro de incertezas. … Continuar lendo

Publicado em Prosa | Marcado com | 6 Comentários

havia duas maneiras de partir: uma era ir embora, outra era enlouquecer. [Mia Couto] Há muito tempo andamos nessa ilha sem sermos vistos: vagamos com os olhos voltados para o céu… distraídos, roubamos do tempo um tempo para ser quem … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 2 Comentários

Sede

Imagem | Publicado em por | Marcado com | 5 Comentários

Estragas-me a paz. E eu preciso das minhas solidões, de bocados mentais sem ti. Começo a ser doença obsessiva ao repetir-me por poemas isto: as tuas invasões à minha paz. [Ana Luísa Amaral] O sol vai descolorindo o dia enquanto … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 2 Comentários

Gramatic[a]mando

“Uma tentativa vã de te conjugar aos meus sentidos…” Se te conjugo no presente é um indicativo de que te quero. E se te imagino no futuro (do presente? do pretérito?) que importa?!? Meu passado é acabado e tu o meu … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 6 Comentários