Relicário…

bela

Desconheço a autoria da Imagem.

Se o teu ouvido se fechou à minha boca
poderei escrever ainda poemas de amor?
A arte de amar não me serve para nada.

[Casimiro de Brito]

Depois de você passear por minhas redondezas…
retas infinitas.

Paisagem árida nos olhos úmidos.
Visto cetim azul com flores rubras.
É tudo para chamar sua atenção.

Ouço blues.
Nada interfere na limpidez do pensamento.
Nem mesmo o tempo, fragmentário.
(Só o seu abraço,
mas disfarço).

Se te pareço absorta, ignore.
É o meu eu mais inquieto brincando de trampolim.
Talvez eu devesse ser assim, mais.
Além.
Lá.
Sei lá de mim!

Repetidos desconcertos e urgências desmedidas.
O seu toque que toca os cabelos de sol.
Noites de lua cheia.
Serenata e acordes de prata.
Um corpo jogado, sem eira nem beira.
(A sua espera).
Nada mais sensato.

O frio é intenso, mas há saídas.
Vinho tinto e choro à luz de velas.
Nada mais romântico…

(Tenho uma estranha fé
nas reticências…)

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

9 respostas para Relicário…

  1. Pingback: Relicário… — Compondo Pássaros & Silêncios… – escreversonhar

  2. Tama! disse:

    Coisa mais linda de se ler…

    Curtido por 1 pessoa

  3. Mariana Gouveia disse:

    Lindo!!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Ana Teixeira disse:

    Tríccia, como admiro a sua obra!
    Não passo um dia sequer sem ler ou reler um dos seus trabalhos.
    Admiração infinita…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s