Juan Medina

Pintura de Juan Medina

Alma perdida
antes de se perder,
sou uma fonte incontida
de viver.
E o que redime a vida
é ela não caber
em nenhuma medida.

[Miguel Torga]

Embriagou-se.
Bebeu de todos os sentimentos,
intensamente.
Entorpeceu-se da mais pura euforia
que o amor poderia oferecer a um mortal.

Lançou-se na paixão
sem temer as futuras feridas.
Por fim, sangrou todas as suas dores.
Removeu suas grandes asas
e as trancou num armário de aço.

Voltou a rastejar,
como um pegajoso caracol
levando consigo a pesada casa nas costas,
repleta de inconformidades.

Seguiu seu caminho
deixando um rastro de lágrimas
por onde passava.
Mas nenhuma flor nasceu.

Daí em diante,
nunca mais soube
o que era viver de verdade…

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para

  1. André Rocesi disse:

    Chega dói…

    Curtido por 1 pessoa

  2. Pingback: … – Título do site

  3. Mariana Gouveia disse:

    de agora em diante, só amou e ponto…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s