Fenomenologia do abraço…

11173396_892835007440205_7095942642723058472_n

Desconheço a autoria da Imagem.

Em teu abraço eu abraço o que existe
a areia, o tempo, a árvore da chuva
E tudo vive para que eu viva

[Pablo Neruda]

     Abriu os braços e recebeu aquele corpo quente, num abraço de amor profundo, desencadeando uma reação de átomos e versos, irreversível para o tato. Acariciou a pele, com sutil desejo, e se permitiu ficar em silêncio, depois de tanto barulho. Tentou pronunciar qualquer palavra, mas apenas convulsões silábicas se desprendiam do céu da boca. Apertou-o mais contra o próprio peito e sentiu-se ampla, invencível. Um abraço destrói distâncias, inviabiliza cartões-postais, seca lágrimas de saudade, confunde o medo, mata o vazio. O abraço é uma pausa no tempo, em que só cabem reticências…

Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado . Guardar link permanente.

9 respostas para Fenomenologia do abraço…

  1. Alecio Neto disse:

    Um grande abraço a você!

    Curtido por 1 pessoa

  2. 0819claudiacap disse:

    Republicou isso em Título do site.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Mariana Gouveia disse:

    Que abraço mais delicioso!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s