Decreto…

Barbara Bezina 3

Barbara Bezina

Como é que se matam saudades
não é coisa que se explique de um modo claro.
(…) Há quem creia que, ainda mortas,
são doces, mais que doces.

[Machado de Assis]

Estou me exilando de minha própria vida.
A partir de hoje, viverei no vento:
Anjo invisível que não sabe de Deus.

Meu coração estará livre,
pois no espaço tudo é extinto.
Minhas mãos nada mais hão de prender
e o amor será apenas outro nome para a morte…

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para Decreto…

  1. Mariana Gouveia disse:

    Sigo todos os decretos aqui!
    Muito lindo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s