Domingo…

Noell S. Oszvald 2

Noell S. Oszvald

Tentei lembrar o alfabeto,
fazer crescer as letras,
abrir novas palavras no colo das páginas.
Mas nenhum nome tem o teu tamanho.

[António de Deus-Rosto]

Peço-te: rompe este silêncio
e abraça de novo meus sonhos…

São 4h da manhã e sinto frio.
Ouça, ouça o vento lá fora.
Ele canta palavras
que não ousei te dizer
naquele dia.

Sopra teu espanto no meu ouvido
e engole todos os meus gemidos…
(Nada pode calar um sentimento assim,
pode?)

Do pouco que dormi sonhei teu sorriso:
amplo como os campos de tulipas,
azul como deve ser a felicidade,
depois de não sentir mais saudade.

Disseram-me que hoje é domingo
e eu só quero comungar contigo
a imensidão desse vazio…

Sufoco o choro
e aqueço a ausência de tudo
na insuficiência de um poema.

O dia deve sangrar banalidades
enquanto teço pássaros
com as asas que me restaram…

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Domingo…

  1. Mariana Gouveia disse:

    e asa voa…Voe,menina nuvem!
    Lindo demais!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s