Em tons pastéis…

15355689_10202618155133199_8224775196672678988_n

Desconheço a autoria da Imagem.

E nosso amor, que brotou
do tempo, não tem idade,
pois só quem ama
escutou o apelo da eternidade.

[Carlos Drummond de Andrade]

Em mim, o sonho amanheceu em tons pastéis
e não há escuridão que persista,
mesmo quando o sol vier a se pôr de novo.

Meus olhos não envelhecem mais…
Cobri o tempo triste com estrelas cadentes
e fiz ramalhetes de rosas brancas
com as linhas douradas dos meus cabelos.

Resiliência nata.
Era de amor que eu falava…

Mas ninguém entende a confusão dos meus medos,
nem de que precipício constitui meu salto.
Um vazio imenso, um vento… alturas impronunciáveis!
E a queda… seca…
o barulho dos ossos se quebrando
nas pedras do meu desespero.

E ninguém percebe o amor que te entrego
em frases prontas, em minúsculos gestos.
O amor se faz é na insignificância do tempo…

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Em tons pastéis…

  1. Mariana Gouveia disse:

    tempo, tempo, tempo…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s