Palavras…

429727_506395862756321_476527247_n

Desconheço a autoria da Imagem.

(…) e repeti devagar o teu nome, o nome dos meus sonhos,
mas as sílabas caíam no fim das palavras, a dor esgota
as forças, são frios os batentes nas portas da manhã.

[Maria do Rosário Pedreira]

Minha vida medida
em palavras abandonadas.
Palavras que leio em livros,
que escrevi em cartas,
que ouvi com amor, com ódio,
com tristeza e alegria. Com dúvidas.
Palavras em canção, sem rimas,
sem asas ou chão, negras e coloridas.
Apenas palavras… muitas, densas.
Incapturáveis.

(…)

Eu prenderia o tempo
– palavra incurável –
no meu pensamento
já que não há outro lugar
onde eu poderia me deitar contigo
e descansar o sono justo
dos que nada mais esperam.
E seu sorriso dourado iluminaria,
sem sombras, o meu desespero.

É que consentir a própria morte
e, depois, renascer todos os dias,
não é tarefa das mais simples, mas,
não sei porquê, me proponho a fazer.

Há dias em que eu sei que estou
verdadeiramente vivendo.
Em outros, não passo de um ausente no mundo,
olhos perdidos no vão do tempo,
escuro lamento de ser
sem ter sido nada, nunca.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Palavras…

  1. Mariana Gouveia disse:

    poesia rasgando a pele, moça! Lindo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s