Clepsidra…

12805790_943149199086590_1373832127044440017_n

Desconheço a autoria da Imagem.

Magoa-me a saudade do tempo em que te habitava.

[Mia Couto]

Cheguei. Estou no limite máximo,
no lugar onde o ar dos pulmões é irrespirável
e o tempo é um caos de eternidade…
(Coleciono silêncios em mim.)

Aqui estou…
Ruminando o meu romantismo tolo
e repugnando os símbolos
que pairam sobre mim.
Ignoro-os todos!
Minha paciência é curta para este fim…
(Escondo-me de mim
para não me saber mais.)

Carrego nos ombros a graça do amor
e nos olhos amarguras infinitas de bem-querer.
Esgoto em mim todos os venenos
e afago com violência os dias não vindos.
Minha essência está no passado…
O futuro me dá náuseas –
é irônico comigo.

Estou suja de angústias.
Banho-me no lago de Vênus…
Não quero crer que a tristeza, agora,
seja o melhor de mim.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s