Juraram os meus sonhos de morte…

ipe-roxo-2

Desconheço a autoria da Imagem.

Juraram os meus sonhos de morte
e, por medo da loucura,
cortei as asas da imaginação.

Agora,
vivo com os pés no chão
e os olhos voltados para o infinito…
Ninguém sabe, mas eu ainda existo.

***

Porque o dia nasceu escuro e a rosa-dos-ventos, que mora dentro de mim, resolveu mudar tudo de lugar. Mudou o rumo do meu caminhar, sem pedir permissão, e os pés, que tocam a terra do chão, quis a maciez das nuvens de algodão.

Porque faminta já não me satisfaz as migalhas do pão. Não quero dividir com os pombos essa terrível missão. Antes, ser beija-flor. Ganhar o céu como quem ganha o presente mais esperado e desembrulhar o azul só para sentir na boca o gosto da liberdade.

Porque o sonho nasceu prematuro e é preciso reinventá-lo. Adorná-lo com flores do campo e cuidar para que sobreviva às intempéries do tempo. Acolhê-lo nas mãos, como suaves bordados em seda, acariciá-lo sem pressa…

Porque a vida espera mais de mim.
E eu espero mais da vida.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

16 respostas para Juraram os meus sonhos de morte…

  1. J∀K disse:

    Belo texto Triccia! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. ludoevico disse:

    Linda poesia e linda foto também! Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Mariana Gouveia disse:

    lindo demais!!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Alan Martins disse:

    Palavras lindas. Gostei bastante.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Lindo! Parabéns! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s