Ao Amor…

12239550_974095752637252_1621863347653942967_n

Desconheço a autoria da Imagem.

É nos teus olhos
que o mundo inteiro cabe,
mesmo quando as suas voltas
me levam para longe de ti…

[Nuno Júdice]

Não se pode beber
dos tormentos do amor
sem morrer de uma morte natural,
lenta e prazerosa.

Vertigem dos ossos,
dores no estômago, insônia,
ansiedade, desespero,
visão turva, calafrios…

E, depois, um sorriso
lambe as lágrimas
e estampa no rosto
a cor de todas as manhãs.

Amar é também sintomático.
Mas eu não saberia morrer
de outro jeito.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

4 respostas para Ao Amor…

  1. Mariana Gouveia disse:

    Amar é receber a cor da manhã… Lindo, lindo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s