Espinhos…

554427_369849163070434_1747811486_n

Desconheço a autoria da Imagem.

Quando à noite desfolho e trinco as rosas
É como se prendesse entre os meus dentes
Todo o luar das noites transparentes,
Todo o fulgor das tardes luminosas

[Sophia de Mello Breyner Andresen]

      Não nasci com espinhos, como a rosa. Foi preciso forjá-los no aço. A minha defesa foi cravada na pele. Se te machuquei, ao ganhar suas carícias, não foi por maldade. Arranhões fazem parte do amor. No fundo, eu só queria ter a certeza de como você era por dentro. Se sangrava, como eu.

Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado . Guardar link permanente.

6 respostas para Espinhos…

  1. Lunna Guedes disse:

    A tarde ainda não chegou a metade, mas o meu fôlego se foi. Uau

    Curtido por 1 pessoa

  2. Mariana Gouveia disse:

    eu fiquei sem ar…

    Curtido por 1 pessoa

  3. K wade disse:

    Nossa, que lindo…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s