Arquivo do mês: julho 2017

Só quem ama corre o risco de perder. Os outros correm apenas o risco de continuar perdidos. [Pedro Chagas Freitas] Acostumei-me a embriagar as borboletas que habitam o estômago, todas as vezes que ouço o teu nome acordando os átomos … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 4 Comentários

Antes de te conhecer, existias nas árvores e nos montes e nas nuvens que olhava ao fim da tarde. Muito longe de mim, dentro de mim, eras tu a claridade. [José Luís Peixoto]   Preciso que se desestabilize toda essa … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 6 Comentários

  São brancas as flores que te crescem nas mãos.  Existes na imensa solidão do amor. Vives num estado de anjo invisível. [Rui Miguel Fragas]       O coração, ruidoso, sangra o silêncio de cada lágrima. Que pode uma … Continuar lendo

Publicado em Prosa | Marcado com | 2 Comentários

Na ausência, nada…

Tanta saudade Do seu carinho Quanta saudade [Vinicius de Moraes] Na distância cabe cartas, telefonemas, mensagens de voz, cartões-postais, lágrimas e sorrisos de saudade. Na ausência, nada. Talvez só palavras inacabadas e um silêncio de doer ossos. Às vezes penso … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Se…

o escurecer da luz no desaguar dos corpos: o amor não tem depois. [Mia Couto] Pelas pontas dos dedos, vértices, fugas, ângulos retos, uma travessura. Atravessamentos. Trampolins e asas, uma fagulha de esperança. Lanço-me e abraço os rochedos. Ah, se … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 2 Comentários

Cotidiano…

A vida é um sopro. [Oscar Niemeyer]       Saio pelas ruas e o dia se coagula diante dos meus olhos: sua pele fina, exposta, sangra o mundo. E dói-me tudo. As pedras, que habitam o asfalto, são poros … Continuar lendo

Publicado em Prosa | Marcado com | 10 Comentários

Poesia

Haverá sempre um gesto capaz de substituir a palavra não dita e haverá sempre nos olhos um dicionário para explicar as palavras que não conseguem alcançar a extensão da fala. [Sândrio Cândido] Ouça o ventre do Nada. Não é fácil … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com | 6 Comentários