Não me diga…

bbooke-didonato-zupi-2

Desconheço a autoria da Imagem.

o coração que me deixaste
é uma casa difícil de habitar.

[Renata Correia Botelho]

      Não me diga o que falar, o que escrever, como se se importasse em qual abismo me atirarei primeiro. Posso confessar os sotaques da chuva e a rua molhada de gente. Ou recitar a gravidez do vento a parir os pássaros cinzentos. Não, não me diga o que fazer, porque só eu mesma consigo suportar as consequências disso. Posso dizer ‘saudade’ e ativar o peito para o corrosivo que há no amor. Depois, arrancar pedaços dos olhos quando a memória me direcionar até a sua imagem.

Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado . Guardar link permanente.

4 respostas para Não me diga…

  1. “Posso dizer ‘saudade’ e ativar o peito para o corrosivo que há no amor.”
    Ah…o poder das palavras… sentimentos são mais suscetíveis do que julgamos…

    Belo, como sempre Triccia.
    Abraço! Fernanda

    Curtido por 1 pessoa

  2. Mariana Gouveia disse:

    Tão lindo, meu Deus! Tão eu!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s