Nada…

Noell Oszvald3

Noell Oszvald

Nada me resgata.
Não sei se sou quem morre
ou quem mata.

[Salgado Maranhão]

A solidão tem seu próprio ritmo. 
É um ritmo permeado pelo som do nada. 
Não, não é de silêncio que eu estou falando. 
O silêncio é o som do mundo, quando dorme. 
A solidão é o ritmo do nada. 
E o nada é composição da ausência.
Falta absolutamente tudo nesse estado de latência.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia e marcado . Guardar link permanente.

10 respostas para Nada…

  1. ludoevico disse:

    Muito bonito seu texto e o casamento com a imagem escolhida. Beijos 🌷

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi Triccia! Gostei da diferenciação de silêncio e solidão. De fato, o silêncio pode ser bem musical e aconchegante quando, mesmo estando sós, não nos sentimos solitários. Por outro lado, ser a solidão a manifestação rítmica, pulsante, e vívida do nada (que é a pura matéria da ausência), é o que a torna (a solidão) tão pungente…
    Abraço! Fernanda 😘

    Curtido por 1 pessoa

  3. E G Viana disse:

    Perfeito o texto!💓💓

    Curtido por 1 pessoa

  4. Mariana Gouveia disse:

    A solidão é dentro da gente…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s